O Conselho Federal da OAB realizará no dia 18 de maio o primeiro Fórum Nacional do Exame de Ordem. A proposta é fazer um amplo debate envolvendo os diferentes atores que participam da elaboração e aplicação do Exame da Ordem. Por isso serão convidados os presidentes das 27 seccionais e os presidentes das comissões do Exame de Ordem de todos os estados. Também serão convidados representantes da Comissão Nacional de Ensino Jurídico, da diretoria da Escola Nacional de Advocacia, da Comissão Nacional do Exame de Ordem e dirigentes da Ordem ligados ao exame.

“Vamos fazer esse fórum para poder interagir mais ainda com as nossas comissões estaduais porque o Exame de Ordem precisa estar em permanente evolução e aprimoramento”, afirmou Claudio Lamachia, presidente nacional da OAB.

A escolha da data, de acordo com Felipe Sarmento, secretário-geral da OAB nacional e coordenador nacional do Exame, foi uma forma de aproveitar a presença dos dirigentes estaduais, já que o fórum será realizado no dia seguinte à reunião do Conselho Pleno. “Queremos discutir aspectos práticos do Exame de Ordem, fazer uma avaliação da prova objetiva e da prova prática do exame, a evolução da avaliação e as principais propostas para aperfeiçoamento da prova prática”, disse Sarmento.

“Ao final produziremos uma ata que agregue todas essas sugestões para que possam ser levadas à coordenação e à diretoria do Conselho Federal”, acrescentou o coordenador.

Enunciado da prova

Lamachia abordou também a proposta recente da entidade de estudar a viabilidade da prova passar a indicar qual a peça processual que deverá ser elaborada pelo examinando. “Não há nada definido sobre esse tema. É uma proposição que estamos avaliando”, afirmou ele.

Segundo o presidente, mudanças na prova serão amplamente discutidas com as seccionais. “Chegamos a conclusão que esse tema tem de ser amplamente debatido com as seccionais para que não paire nenhuma dúvida se, eventualmente, chegarmos a conclusão de que o encaminhamento será este. Vai passar por um amplo debate com todas as seccionais, com todas as comissões e também no colégio de presidentes”, declarou Lamachia.

Fonte: OAB

Na minha avaliação essa iniciativa mostra uma preocupação do Conselho Federal da OAB em aprimorar a forma de avaliação dos bachareis em Direito. Provavelmente teremos mudanças na elaboração da prova, o que pode significar inclusão de novas disciplinas e alteração do quantitativo de questões por matéria para compatibilizar com o total de 80 questões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *